POLÍTICA – A deputada estadual Alessandra Campelo do MDB, denunciou na tribuna da Assembleia Legislativa na manhã desta terça-feira (18), um suposto calote praticado pela operadora de telefonia Claro S/A que foi contratada pelo governo do Estado para fornecer 5 mil chips de celular para os alunos carentes da Universidade Estadual do Amazonas (UEA) que não tem condições financeiras de acessar a internet para ter acesso as aulas virtuais.

Ocorre senhores, que a CLARO, há mais de 3 semanas ficou de entregar. As aulas estão prejudicadas e a CLARO nao entregas os chips (…) porque alega que o estado tem uma dívida de 2017 e 2018 que virou restos a pagar“, declarou.

Em virtude da Pandemia causada pelo Novo Coronavírus, a UEA adotou a modalidade de ensino à distância em cumprimento das leis locais que visam combater a proliferação do Covid-19. No entanto, alunos de baixa renda estão encontrando dificuldade para ter acesso a internet, o que levou a instituição de ensino a adquirir os chips da CLARO, além de 1 (um mil) smartphones para os estudantes que vivem em áreas distantes.

A parlamentar se comprometeu em fazer que for possível para defender os estudantes prejudicados.

E que fique bem claro, se não houver uma providência imediata para resolver esse problema, nós tomaremos outras medidas mais severas“, Disparou Alessandra.

A reportagem procurou a assessoria de comunicação da empresa Claro S.A afim de obter um posicionamento sobre o caso, mas não tivemos resposta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui